segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Doce de Tapioca

Mais uma vez comprei Tapioca, pois ficai fã desta farinha. Nesta embalagem vinha uma receita diferente da que eu tinha utilizado anteriormente e decidi exprimentar. O resultado foi maravilhoso, parecia arroz doce mas bem fresquinho.
Vale a pena experimentar.


Ingredientes:


4 colheres sopa de Tapioca Granulada
2 ovos
½ l leite
1 laranja
4 colheres de sopa de açúcar

Coloca-se a Tapioca a demolhar em água durante 30 minutos (eu deixei durante a noite). Aquece-se o leite até levantar fervura. Nessa altura junta-se a Tapioca, mexendo sempre até engrossar e cozer. Adicione o sumo da laranja. Batem-se os ovos com o açúcar até conseguir uma mistura esbranquiçada. Junte ao leite com a Tapioca e coza durante mais 3 minutos. Deixe arrefecer, polvilhe com canela e está pronto a servir.


sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Benefícios dos Coentros (Inglês = coriander)

Introdução

O coentro – Coriandrum sativum – é uma planta da família das umbelíferas, é anual e muito aromática, de folhas superiores finalmente recortadas e flores pequenas de cor branca ou rosa. As sementes muito redondas de cor bege são muito apreciadas na culinária.

História

Embora de origem incerta, sabe-se que os antigos egípcios já a utilizavam para embalsamar os corpos. É provavelmente originária da bacia do Mediterrâneo onde os gregos e os romanos a utilizavam em pratos e bebidas. Na Idade Média era cultivada nos jardins dos mosteiros. É também conhecida por salsa árabe ou chinesa e é hoje cultivada um pouco por todo o mundo. Em inglês é conhecida por coriander e em espanhol por cilantro. Muito utilizado na cozinha indiana e árabe, tanto as sementes como as folhas. Entre nós é mais comum utilizarem-se as folhas na confecção de vários pratos e as sementes no fabrico de confetis e outros doces.

Propriedades

É digestivo, anti-séptico e calmante. Na Índia é considerado afrodisíaco, serve para aumentar as glândulas mamárias.
O coentro tem quatro vezes mais caroteno do que a salsa e três vezes mais cálcio do que esta. Tem ainda proteínas, sais minerais, vitamina B e niacina. As folhas são muito ricas em ferro e vitamina C.
Tanto os coentros como a salsa ajudam a neutralizar o hálito do alho.
A tisana das folhas combate ainda a fadiga e alguns tipos de enxaquecas. As suas sementes são um excelente digestivo quando mastigadas depois da refeição.
Alivia dores de estômago em caso de digestões difíceis, vómitos e flatulência, estimulando o apetite e ajudando a secreção gástricos e intestinais.
Na medicina chinesa inalam-se os vapores dos ramos dos coentros e massaja-se o corpo com chá para acalmar a comichão e eliminar as borbulhas do sarampo.
Na antiguidade, os coentros eram mais utilizados pelas suas propriedades medicinais, mas hoje em dia é mais comum serem usados na culinária. 

Culinária

As sementes dos coentros devem ser adicionadas no princípio da cozedura.
A incorporação de coentros nos pratos com leguminosas favorece reabsorção dos gases intestinais.
Pode ainda ser utilizado para aromatizar a cerveja.
As sementes servem para aromatizar o gin e fabricar licores digestivos. Servem ainda para aromatizar vinagre e vários tipos de conservas como puré de tomate, pêras ou maçãs, salsichas ou patés.
Na Índia é um ingrediente essencial do caril em pó.
Tantos as folhas como as sementes salientam o sabor da choucroute, beterraba, cornichons, cogumelos, alcachofras e salada várias, especialmente de batata.
Um ou dois grãos de coentros esmagados numa chávena de café concedem-lhe um excelente sabor.


Jardim

Embora cultivada como erva aromática, convém separá-las das plantas de jardim, pois o forte aroma da folha e sementes frescas pode ser prejudicial a algumas plantas. Mas sabe-se que afasta os afídeos aos quais é imune.
Quando associada com o funcho, impede a formação das suas sementes, enquanto que ajuda a germinar as do anis.
As suas lindas e delicadas flores fazem lindos canteiros e atraem abelhas.
O aroma das suas sementes vai-se tornando mais intenso e agradável à medida que estas vão amadurecendo.

Fonte: Portal do Jardim

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Jardineira de Borrego

Costumo fazer muitas vezes este prato, porque é fácil, tem muito sabor e é saudável.
Fica uma maravilha. Experimentem.

Ingredientes:
(para 2 pessoas)

500grs de borrego partido em bocadinhos
1 cebola picada
3 dentes de alho picados
200 ml de vinho branco com qualidade
2 folhas de louro
2 batatas partidas aos bocados
2 cenouras partidas aos bocados
150 grs de feijão verde partido aos bocados
Azeite, sal e piripiri q.b.

Num tacho refogar a cebola, o alho, o azeite e o louro. Junte o borrego e deixe refogar um pouco. Depois adicione o vinho, o sal e o piripiri e deixe cozer com o tacho tapado.
Quando o borrego estiver quase cozido junte as batatas, as cenouras e o feijão verde ( os legumes devem ser partidos em bocados do mesmo tamanho para que o tempo de cozedura seja o mesmo), acrescente água para cobrir os legumes, rectifique os temperos e deixe cozer. Depois é só servir.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Bola de Carnes

'O prometido é devido' como na musica...cá está a bola de carne e....



....já agora o Rui Veloso.

video

Ingredientes:

1 Chávena de leite morno
1 Chávena de azeite
3 Chávenas de farinha
4 ovos
1/2 colher de chá de sal
25grs fermento de padeiro
Carnes da vossa preferência ( paio, fiambre, frango, Bacon...)

Colocar todos os ingredientes na cuba da máquina de fazer pão, no programa amassar, no final dividir a massa em duas partes ( se a massa ficar peganheta, untar as mãos com uma pouco de azeite).



Num tabuleiro colocar uma parte de massa tendida e vá sobrepondo as carnes ao seu gosto e tape com a outra metade de massa.




Levar ao forno a 180ºC durante 40min ou até estar dourada e cozida.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Broas com frutos secos e castanhas - Dia de São Martinho

O Dia de São Martinho é celebrado anualmente a 11 de Novembro.

Este dia é uma das celebrações que marcam o Outono.

A lenda de São Martinho conta que certo dia, um dia um soldado romano chamado Martinho, estava a caminho da sua terra natal. O tempo estava muito frio e Martinho encontrou um mendigo cheio de frio que lhe pediu esmola. Martinho rasgou a sua capa em duas e deu uma ao mendigo. De repente o frio parou e o tempo aqueceu. Este acontecimento acredita-se que tenha sido a recompensa por Martinho ter sido bom para com o mendigo.

A tradição do Dia de São Martinho é assar as castanhas e beber o vinho novo, produzido com a colheita do Verão anterior.

Por norma, na véspera e no Dia de São Martinho o tempo melhora e o sol aparece. Este acontecimento é conhecido como o Verão de São Martinho.

Provérbios de São Martinho
  • Por S. Martinho semeia fava e o linho.
  • Se o Inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.
  • Se queres pasmar o teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho.
  • No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o vinho.
  • No dia de S. Martinho, castanhas, pão e vinho.
  • No dia de S. Martinho com duas castanhas se faz um magustinho.
  • Dia de S. Martinho, fura o teu pipinho.
  • Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.
  • Pelo S. Martinho, todo o mosto é bom vinho.
Fonte: CalendarR

Cá em casa cozeram-se castanhas, fizeram-se broas e bebeu-se chá de Bola da Fortuna.



Para fazer as Broas:

Xarope:
2 Pau de Canela
Casca de 1 Limão
2 flores de anis
450 ml de água


Massa para levedar:
1kg. de Farinha
500grs de castanhas cozidas e descascadas
3 colheres de sopa de Erva Doce
3 colheres de sopa de Canela
1 colher de sopa de Sal
50 gr. Fermento de Padeiro
Raspa de 1 laranja e 1 limão
3 Ovos
100gr. de manteiga

Só depois de levedar se junta:
350gr. de Açúcar
Frutos Secos (a gosto)
50ml de vinho do Porto
3 colheres de mel de cana de açúcar
1 ovo para pincelar

Preparar o xarope, fervendo todos os ingredientes e deixe arrefecer. Colocar os frutos secos a macerar com o vinho do Porto, o açúcar e o mel.

Preparar a massa, nesta tarefa eu utilizei a máquina de fazer pão para amassar. Junte na cuba da máquina a farinha, a canela, a erva-doce, o sal, o fermento, as raspas da laranja e do limão, os ovos, a manteiga e as castanhas cozidas. Ligue a máquina no programa da massa e junte aos poucos o xarope, até ficar uma bola, descolada do fundo da cuba. Deixe 30min a amassar. Retire para um recipiente para levedar tapado e em local quente e durante pelo menos uma hora ou até dobrar o volume.


Só depois de levedar junte, os frutos secos macerados. Com a ajuda da farinha faça bolinhas e pincele com ovo batido. Leve ao forno 15min a 180ºc ou até estarem cozidas. Desta vez fiz broas pequenas.


Castanhas cozidas com erva-doce

Cozer as castanhas é a coisa mais fácil deste mundo, senão vejamos:



Lavar as castanhas, retirar com uma boa faca um bocado da casca. Colocar as castanhas numa panela ao lume com água com uma pitada de sal e erva-doce a gosto, quando estiverem macias escora a água e retire a casca, e coma ainda quentes.

Chá da Bola da Fortuna ou Flor do Amaranto


A Flor de Amaranto é originária da China, é também conhecida como Bola da Fortuna, podem encontrar cá em Portugal á venda no Hipermercado Continente.
O Amaranto pode crescer até dois pés com variedades mais novas, menores que são anões espessos. As flores são aproximadamente uma polegada no diâmetro e podem ser vermelhas, roxas, magentas e alaranjadas. Tem a boa função em manter a saúde. É usado para fazer o chá, colocando a flor seca na chávena e depois colocar a água bem quente sobre ela, deixe a flor abrir e beba o chá, que tem um sabor especial, distinto, floral e muito agradável.




quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Tarte de Natas

A minha afilhada faz hoje 6 anos, e para ajudar á festa decidi levar esta magnifica tarte e uma bola de carne (que irei colocar depois do S.Martinho). Esta receita foi retirada do site da Vaqueiro, mas fiz algumas alterações.


Para a massa
:
250 g de farinha
3 colheres de sopa de açúcar
125 g de margarina
1 ovo pequeno

Para o recheio:
4 ovos
6 colheres de sopa de açúcar (bem cheias)
2 colheres de sopa rasas de maisena
2 cascas de limão
2 dl de leite
2 dl de natas

Preparação da base:

Misture a farinha com o açúcar, adicione-lhe a margarina cortada em pedaços e trabalhe com as pontas dos dedos até obter uma areia grossa.
Junte o ovo e misture os ingredientes até conseguir moldar a massa em bola.
Estenda a massa e forre uma forma de tarte com cerca de 22 cm de diâmetro.
Pique o fundo com um garfo e deixe repousar no frigorífico.
Ligue o forno e regule-o para os 200 °C.
Leve a massa ao forno e deixe cozer cerca de 15 a 20 minutos.


Prepare o creme:

Bata os ovos com o açúcar.
Dissolva a maisena no leite frio e junte à gemada.
Leve ao lume e deixe engrossar, mexendo.
Adicione as natas e misture bem.
Retire do calor e deixe arrefecer.
Deite o creme preparado na caixa de massa e leve ao forno cerca de 25 minutos.
Quando o creme começar a alourar, polvilhe a superfície com açúcar e ligue também a grelha superior do forno.
Deixe caramelizar.



quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Broas de Todos dos Santos

Caros amigos,

A tradição ainda é o que era? Cá em casa é.
Na véspera do dia 1 de Novembro ou Dia de Todos os Santos, as senhoras vão para a cozinha fazer Broas para oferecer a quem pede o Pão por Deus, juntamente com chocolates, rebuçados, nozes...As crianças da aldeia (zona saloia) trazem os sacos de pano logo pela manhã para a missa, e assim começa o peditório...
Ó tia, dá Pão-por-Deus?
Se o não tem Dê-lho Deus!.

Ou então:
Bolinhos e bolinhós
Para mim e para vós
Para dar aos finados
Qu'estão mortos, enterrados
À porta daquela cruz
ou
Pão, pão por Deus à mangarola,
encham-me o saco,
e vou-me embora.

Tenho um saco à gringola,
se mo encherem vou-me embora
Fonte: Wikipédia

A receita é retirada do blog da Luísa Alexandra, pois este ano estava ‘sozinha na cozinha’, a minha tia-madrinha é que era a especialista nas broas, e como partiu em Abril da terra dos vivos e não deixou nada escrito, foi buscar uma receita semelhante.
Fiz algumas alterações e para a próxima vou fazer mais até chegar ao sabor que tenho na memória. Estas ficaram muito boas, mas com pouco doce.

Ingredientes:
Xarope:
2 Pau de Canela
1 colher de café de essência de Baunilha
Casca de 1 Limão
2 flores de anis
750 ml de água


Massa para levedar:
1kg. de Farinha
3 colheres de sopa de Erva Doce
3 colheres de sopa de Canela
1 colher de sopa de Sal
50 gr. Fermento de Padeiro
Raspa de 1 laranja e 1 limão
3 Ovos
100gr. de manteiga

Só depois de levedar se junta:
350gr. de Açúcar
Frutos Secos (a gosto)
1 ovo para pincelar

Preparar o xarope, fervendo todos os ingredientes e deixe arrefecer.


Preparar a massa, nesta tarefa eu utilizei a máquina de fazer pão para amassar. Junte na cuba da máquina a farinha, a canela, a erva-doce, o sal, o fermento, as raspas da laranja e do limão, os ovos e a manteiga. Ligue a máquina no programa da massa e junte aos poucos o xarope, até ficar uma bola, descolada do fundo da cuba. Deixe 30min a amassar. Retire para um recipiente para levedar tapado e em local quente e durante pelo menos uma hora ou até dobrar o volume.



Só depois de levedar junte, o açúcar e os frutos secos. Com a ajuda da farinha faça bolinhas e pincele com ovo batido. Leve ao forno 15min a 180ºc ou até estarem cozidas.